Início Site

Consulta placa: Saiba mais

0

Grande parte da identidade de um carro está em sua placa. Por isso, saber reconhecer os diferentes tipos de placas e onde consultar placa de carro é uma informação valiosa.

Quando você vai comprar um carro seminovo ou usado, quais os detalhes que você mais dá atenção?

A parte mecânica com certeza é um dos primeiros itens a ser checado. Depois vem os itens de segurança, as condições da lataria, pintura… E a placa do carro? Você consulta a placa do carro antes de comprar?

A placa do carro guarda todo o histórico do veículo, como se fosse uma impressão digital ou um CPF. Ao consultar a placa, você pode checar os detalhes sobre o veículo que estão sendo passados pelo vendedor. É o diferencial entre uma boa e uma má aquisição.

Para ajudar você nessa tarefa, ao longo do texto você pode conferir como consultar a placa de um carro. Também ficará sabendo quais informações podem ser extraídas da consulta da placa e os motivos pelos quais é importante consultar a placa do carro.

Antes de saber mais sobre como consultar placa de carro, precisamos entender como funciona o emplacamento e quais os diferentes tipos de placa existentes.

 

 Como funciona o emplacamento de carros?

O Detran de cada estado é o órgão responsável pelo emplacamento dos carros. Cada placa contém uma sequência única, composta por três letras e quatro dígitos – formato ABC 1234.

O Denatran é o órgão responsável por planejar e coordenar a seleção de combinações de três letras presentes na placa do carro. Essa combinação é feita de acordo com o estado de origem do carro.

O primeiro sistema de emplacamento de carros surgiu em 1941, e foi evoluindo até o sistema que conhecemos hoje, que vigora desde 1990. A sequência de letras e números nas placas de carro é separada por hífen ou ponto, obrigatoriamente.

Já as placas de motocicletas possuem formato diferenciado: as letras ficam na parte de cima e os números na parte de baixo. A combinação de letras e números da placa do carro ou da moto é única e intransferível.

Mesmo quando o carro é vendido para uma pessoa de estado diferente do seu de origem, a placa não muda, pois o Denatran não libera uma nova combinação. A única mudança feita nesse caso é a informação de município e estado inscritos na placa do carro.

Assim, o Detran responsável pelas informações do carro passa a ser o Detran do novo município. Essa informação é importante, pois indica o estado onde consultar a placa do carro. Você entenderá melhor mais a frente no texto.

Cores de placas

A cor mais comum dentre as placas de carro é a cinza. Mas não é a única que existe. As placas de carro são divididas em nove cores, e cada uma expressa uma identidade diferente do carro.

Essas cores são:

      Cinza

      Vermelha

      Verde

      Azul

      Verde e amarela

      Preta com letras douradas

      Preta com letras cinzas

      Branca com letras pretas

      Branca com letras vermelhas

E cada cor de placa identifica um uso de veículo:

      Placa cinza é a cor para carros particulares.

      Carro com placa vermelha são carros de transporte público.

      A placa verde é dada aos veículos de concessionárias e fabricantes.

      Placa azul identifica carro para uso diplomático-consular.

      Carros com placa verde e amarela são para uso do executivo ou legislativo federal.

      As placas pretas com letras douradas identificam os carros utilizados pelo legislativo ou executivo do estado ou município, e também pelo judiciário.

      Carro com placa preta e letra cinza é carro de coleção.

      A placa branca com letras pretas identifica viaturas oficiais.

      Carros de auto escola tem a placa branca com letras vermelhas.

Quais informações podem ser obtidas sem fazer a consulta placa do carro online?

Algumas informações podem ser obtidas apenas analisando visualmente a placa do carro. Dados como estado de origem do veículo, por exemplo. Nem sempre a informação de município e estado que vem descrita na parte superior da placa é a mesma de quando o carro foi emplacado.

Para obter essa informação devemos analisar a combinação de letras presente no começo de cada placa de carro. Cada estado do Brasil tem uma abrangência de combinações, como na lista abaixo:

      AAA – BEZ: Paraná

      BFA – GKI: São Paulo

      GKJ – HOK: Minas Gerais

      HOL – HQE:; Maranhão

      HQF – HTW: Mato Grosso do Sul

      HTX – HZA: Ceará

      HZB – IAP: Sergipe

      IAQ – JDO: Rio Grande do Sul

      JDP – JKR: Distrito Federal

      JKS – JSZ: Bahia

      JTA – JWE: Pará

      JWF – JXY: Amazonas

      JXZ – KAU: Mato Grosso

      KAV – KFC: Goiás

      KFD – KME: Pernambuco

      KMF – LVE: Rio de Janeiro

      LVF – LWQ: Piauí

      LWR – MMM: Santa Catarina

      MMN – MOW: Paraíba

      MOX – MTZ: Espírito Santo

      MUA – MVK: Alagoas

      MVL – MXG: Tocantins

      MXH – MZM: Rio Grande do Norte

      MZN – NAG: Acre

      NAH – NBA: Roraima

      NBB – NEH: Rondônia

      NEI – NFB: Amapá

Essas são as primeiras sequências que foram designadas a cada estado. Já há estados que precisaram solicitar ao Denatran uma segunda combinação de letras para emplacar seus carros.

Motivos para consultar a placa do carro na internet

Realizar a consulta da placa do carro é muito importante quando você está num processo de compra desse carro, principalmente se for usado. Como dito anteriormente, a placa do carro é como um CPF ou impressão digital, que armazena todas as informações sobre o carro.

Ao realizar a consulta da placa do carro é possível saber:

      Por quantos donos esse carro já passou

      Em quantos acidentes esteve envolvido

      Se já foi roubado

      Se já foi leiloado

      Se está alienado

      Se há multas à pagar junto ao registro do veículo

      Se o veículo possui alguma pendência jurídica

Com essas informações em mãos você pode avaliar se comprar o carro em questão é ou não um bom negócio.

Onde realizar a consulta da placa do carro?

A internet tornou tudo mais simples, inclusive a consulta da placa do carro. Existem diversos sites nos quais você pode informar a placa do carro e obter um histórico completo.

A maioria desses sites são pagos, porém alguns oferecem até duas consultas gratuitas para o mesmo IP. Alguns dos sites onde você pode consultar a placa do carro são:

      Carfacts – Oferece consulta de placa rápida, retornando informações básicas como: marca, modelo, ano de fabricação, cor e combustível. É gratuito para as duas primeiras consultas.

      Checkauto, da Dekkra – Oferece teste gratuito que informa dados como: histórico de consultas, UF de emplacamento do carro, mês de licenciamento, histórico de furto e inspeção veicular.

      Historicar – A consulta da placa é paga nesse site. Porém, as informações obtidas são mais completas, como: Registros de débitos e alienação, proprietários anteriores, veículos vendidos em leilão, veículos envolvidos em acidentes, veículos sinistrados e remontados e veículos com busca e apreensão.

      Carcheck – Não oferece consulta de placa básica gratuita, porém os resultados de pesquisa são os mais completos. Ao consultar a placa do carro com o carcheck você fica sabendo de qualquer restrição envolvendo o carro, até a identificação das peças do carro.

      InfoCarro SP – O InfoCarro é um site do estado de São Paulo que oferece as informações básicas sobre o histórico dos carros. Basta abrir o site e realizar a consulta da placa do carro.

      Detran do seu estado. O Detran oferece gratuitamente a consulta da placa do carro que você deseja. Porém por questões de segurança, além da placa do carro você deve ter também o número Renavam do veículo.

Com a consulta de placa do Detran, algumas informações básicas são passadas, como: sua marca, modelo, tipo, ano de fabricação, data de licenciamento atual, débitos ou restrições e histórico de infrações.

O site a ser acessado é o Detran do seu estado. Se você mora no Rio de Janeiro, por exemplo, deve acessar www.detran.rj.gov.br.

Lembrando que, quando um carro é transferido de estado, o Detran do novo estado fica responsável pelos seus dados. Então, para consultar a placa de um carro nessas condições, deve-se acessar o site do estado que o carro se encontra.

Aplicativos para consulta de placa

Existem também alguns aplicativos para celular que você pode utilizar para realizar a consulta de placa do carro em questão. O aplicativo mais conhecido se chama Checkplaca, e foi desenvolvido pelo Ministério da Justiça.

Além da consulta de placa, o Checkplaca identifica se o carro está em situação irregular – roubo ou furto – e alerta o usuário. Este, por sua vez, opta por ligar ou não anonimamente para a polícia e informar a situação.

É gratuito e pouco depois de ser lançado alcançou 400 mil downloads e mais de 5 milhões de consultas de placas. O aplicativo está disponível para Android e Iphone.

Conclusão

Neste artigo você conferiu em que consiste o emplacamento de veículos no Brasil, os tipos diferentes de placas e como fazer uma consulta de placa de carro na internet – com várias opções de sites gratuitos e pagos. Com todas essas informações em mãos, você está preparado para comprar qualquer carro que desejar!

 

Auxílio doença

0

 

Você tem dúvida sobre o que é o auxílio-doença? Neste texto vamos falar sobre o que é e quem tem direito a esse benefício.
O auxílio-doença é um benefício dado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para segurados que comprovem a partir de perícia médica que estão temporariamente incapazes para exercer sua atividade profissional, seja por doença ou acidente.
Os trabalhadores autônomos que pagam contribuição ao INSS também podem dar entrada e receber o auxílio-doença.

Como fazer o requerimento do auxílio-doença?

 

 

 

 

O trabalhador que se encontra incapacitado de trabalhar deve ir a um posto do INSS fazer o requerimento do benefício de auxílio-doença.
Antes disso, é indicado fazer o agendamento do benefício no site do INSS, no campo “Solicitar Benefício”.
É preciso levar uma declaração emitida pela empresa, carimbada e assinada.
Esta declaração deve informar o último dia de trabalho e o afastamento do funcionário. O formulário pode ser impresso a partir deste link.
Juntamente com a declaração, é preciso levar o atestado médico da empresa, onde vao está especificado a causa do afastamento, período sugerido para o afastamento e o tratamento indicado.
É preciso ainda um documento de identificação oficial com foto, CPF e Carteira de Trabalho.
No caso de trabalhadores autônomos, é preciso também levar os carnês de contribuição e outros documentos que comprovem o pagamento do INSS.
Após isso, o INSS vai agendar uma perícia para que seja concedido o benefício do auxílio-doença.

Os principais requisitos para receber auxílio-doença

Os principais requisitos para receber o auxílio-doença são:

·       Cumprir a carência referente às 12 contribuições mensais. Em casos especiais, a perícia do INSS pode ponderar a isenção de carência para doenças profissionais, acidentes de trabalho, acidentes de outras naturezas e ocorrência de doenças previstas na Portaria Interministerial MPAS/MS nº 2998/2001.

·       Ser segurado do INSS;

·       Comprovar a partir de perícia médica com um médico perito do INSS doença ou acidente que o torne temporariamente incapaz para a realização de sua atividade profissional;
·       Para empregados no regime CLT, é preciso está há pelo menos 15 dias afastado do trabalho. Esses dias podem ser corridos ou intercalados em um prazo de 60 dias pela mesma doença.

O que é feito na perícia do INSS

Na perícia do auxílio-doença, o médico do INSS vai fazer exames que vão determinar se o trabalhador está apto para exercer sua atividade profissional ou se realmente precisa ficar afastado.
No caso do médico perito considerar que a pessoa está apta ao trabalho, o trabalhador vai receber o tempo que ficou afastado até a realização da perícia e vai ter que retornas ao trabalho em seguida.
Nesta situação e em se a prorrogação do benefício for negada, é possível entrar com recurso em até 30 dias após a decisão do perito.
Este recurso deve ser apresentado por escrito e descrever todos os motivos no qual o trabalhador se opõe à decisão do perito. O agendamento e acompanhamento do recurso podem ser feitos neste link.
O médico perito do INSS também define o período necessário do afastamento em que o trabalhador vai receber o benefício do auxílio-doença.
Ao final do tempo estipulado pelo médico, o profissional vai ter que se apresentar à empresa para o retorno de suas atividades profissionais.

É possível pedir que o benefício do auxílio-doença seja prorrogado?

No caso do trabalhador não se sentir apto para voltar a exercer sua atividade profissional, é possível pedir a prorrogação do auxílio-doença em 15 dias antes do prazo de encerramento determinado pelo médico.
Para solicitar o adiamento, uma nova perícia é agendada no site do INSS. Esta nova perícia que vai determinar se haverá prorrogação do benefício.
No caso do trabalhador perder o prazo de prorrogação do benefício, é possível entrar com um pedido de reconsideração em até 30 dias após o benefício anterior ter terminado.
Quando o trabalhador começa a receber o auxílio-doença?
O recebimento do auxílio-doença começa após o parecer favorável da perícia em relação ao afastamento do trabalhador.
No caso do agendamento da perícia ser em até 30 dias após o afastamento da empresa, o trabalhador vai receber o valor retroativo do período de ausência.
Vale lembrar, que os primeiros dias são pagos pela empresa, já que o empregado continua recebendo normalmente seu salário.
Já em casos em que o trabalhador demore mais de 30 dias para agendar a perícia, o recebimento do benefício vai ser referente somente ao período depois da perícia realizada.

Qual o prazo para receber o auxílio-doença?

O auxílio-doença pode ser recebido por até dois anos e ter prorrogação, caso o médico perito do INSS ache necessário.
Não há limites para o número de prorrogações pedidas. Se o trabalhador considerar que ainda não está apto para voltar para sua atividade de trabalho, pode pedir que o benefício seja prorrogado.
Entretanto, a ideia do INSS é que o auxílio-doença seja um benefício de curto prazo. No caso do trabalhador está incapacitado por mais de dois anos, o ideal é debater a possibilidade da concessão de uma aposentadoria por invalidez.

 Quanto é pago no auxílio-doença?

Para trabalhadores de carteira assinada, o valor pago ao benefício do auxílio-doença é igual ao salário recebido. Contudo, respeita-se um teto de R$ 5.189,82.
Já em caso de trabalhadores autônomos, o benefício é proporcional à contribuição paga mensalmente ao INSS.
Isto é, se a pessoa paga a contribuição de um salário mínimo, vai receber como benefício de auxílio-doença este valor.

Trabalhadores autônomos fazem o requerimento do auxílio-doença de forma diferenciada

Diferentemente dos trabalhadores contratados pela CLT, os autônomos podem fazer o agendamento da perícia a partir do primeiro dia do afastamento.
Basta mostrar laudos médicos que comprovem problema de saúde.
O benefício do auxílio-doença vai ser pago após a realização da perícia e referente a todo o período em que o trabalhador esteve parado, desde que o requerimento seja feito em até 30 dias após o afastamento.
Agora que você já sabe sobre os detalhes do auxílio-doença, basta ficar atento para agendar a perícia o quanto antes e, se preciso, não perder o prazo para pedir a prorrogação do benefício, que é um direito de todos os trabalhadores segurados do INSS.

 

Desligamento da TV analógica

0

O processo de migração do sinal analógico para o digital se iniciou em 2015, e de acordo com o MCTIC – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – até 2018 mais de 1300 municípios em todo o país já terão o sinal analógico desligado.

Para entender melhor toda essa revolução digital que acontece em frente aos nossos olhos é preciso conhecer a Seja Digital que é a instituição responsável pelo processo de Desligamento da TV analógica.

A Seja Digital é a Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV – EAD, trata-se de uma instituição não-governamental criada pela Anatel para operacionalizar todo esse processo de migração, e assim, garantir com que todas as pessoas tenham acesso ao sinal digital.

A Seja Digital tem a missão de desenvolver campanhas, mobilizações e promoções com o intuito de popularizar a ideia da TV Digital.

É seu dever oferecer suporte às pessoas, como o esclarecimento de possíveis dúvidas, e também é de sua responsabilidade a distribuição gratuita dos kits de antena que serão oferecidos às famílias que possuam cadastro nos programas sociais do Governo Federal.

Para as pessoas que possuem ainda a televisão analógica, saibam que não é necessário trocar o aparelho, mas é preciso adquirir uma antena digital juntamente com seu conversor.

Do contrário, não receberam o sinal digital com sua nitidez característica que torna tudo mais real. A tecnologia da TV Digital que adentrará a sua sala fará com que você mude seu jeito de assistir televisão.

Desligamento da TV analógica

O fim das interferências e dos ruídos é um dos benefícios da migração da TV analógica para o sinal digital. Além é claro, da perceptível melhora na nitidez e na resolução das imagens e também no que se refere aos ganhos em interação e mobilidade.

O telespectador só tem a comemorar com o fim do sinal analógico. Interatividade, imagens e sons de qualidade é o que a TV Digital tem a te oferecer, e o melhor, a sua TV ainda vai continuar gratuita.

Sobre as Antenas Digitais

São três os tipos disponíveis de antenas digitais. A primeira dica é que a antena tem que ser UHF, pois os outros modelos não são capazes de realizar a captação do sinal digital. Sendo assim, ainda que os televisores sejam digitais, sem a antena UFH e uma adequada instalação da mesma não é possível ter os ganhos da tecnologia da TV Digital.

O primeiro modelo a ser apresentado é o Antena Externa. Como o nome já pressupõe, esta antena tem de ser instalada no telhada da residência. E o modelo mais indicado, devido ao fato de não haver barreiras que possam influenciar a qualidade do sinal.

O segundo tipo é a Antena Interna. Neste caso, o aparelho é colocado dentro do imóvel e por consequência, sofre riscos de influência no seu sinal. Devido as próprias paredes da casa a captação do sinal é prejudicada, por isso este modelo é pouco recomendado pelos técnicos.

O terceiro modelo é a Antena COLETIVA. Desenvolvido para a instalação em prédios e condomínios, este modelo é ideal para ser usado de forma coletiva e garantir a todos os vizinhos os benefícios da TV Digital.

Kits de distribuição gratuita

Os Kits de distribuição da Antena Digital serão disponibilizados de forma gratuita às famílias que possuam inscrição nos programas sociais do Governo Federal. Esses kits são compostos por uma antena UFH mais conversor e controle remoto, e sua distribuição é de responsabilidade da Seja Digital.

Lembrando que só vai precisar do conversor para TV Digital as pessoas que possuem televisores fabricados antes do ano de 2010, como as TVs de tudo e telas planas que ainda não têm o conversor embutido.

Para evitar equívocos é recomendado que o consumidor consulte o manual do aparelho para se certificar de que o produto precisa ser adaptado.

O MDS – Ministério do Desenvolvimento Social – disponibiliza a lista de pessoas que receberão os kits gratuitos e a Seja Digital segue o trabalho comunicando essas pessoas do seu benefício.

Para saber se seu nome já consta na lista, entre em contato com a Central de Atendimento da Seja Digital pelo número 147 ou acesse o endereço [email protected] para esclarecer suas dúvidas. Saiba que seus profissionais estão à disposição para atendimento 24 horas por dia.

Prazo para o Desligamento da TV analógica nos estados do Brasil

Confira agora o cronograma para o desligamento da TV analógica nas principais cidades brasileiras, de acordo com o site do G1:

Brasília (DF) 17 de novembro de 2016;
São Paulo (SP) 29 de março de 2017;
Goiânia(GO) 31 de maio de 2017;
Recife (PE) 26 de julho de 2017;
Fortaleza (CE) 27 de setembro de 2017;
Salvador (BA) 27 de setembro de 2017;
Rio de Janeiro (RJ) 25 de outubro 2017;
Vitória (ES) 25 de outubro de 2017;
Belo Horizonte (MG) 08 de novembro de 2017;
Curitiba (PR) 31 de janeiro de 2018;
Porto Alegre (RS) 31 de janeiro de 2018;
Florianópolis (SC) 31 de janeiro de 2018;
São Luís (MA) 28 de março de 2018;
João Pessoa (PB) 30 de maio de 2018;
Belém (PA) 30 de maio de 2018;
Aracaju (SE) 30 de maio de 2018;
Maceió (AL) 30 de maio de 2018;
Manaus (AM) 30 de maio de 2018;
Natal (RN) 30 de maio de 2018;
Teresina (PI) 31 de maio de 2018;
Boa Vista (RR) 28 de novembro de 2018;
Palmas (TO) 28 de novembro de 2018;
Cuiabá (MT) 28/ de novembro de 2018;
Campo Grande (MS) 28 de novembro de 2018;
Macapá (AP) 28 de novembro de 2018;
Porto Velho (RO) 28 de novembro de 2018;
Rio Branco (AC) 28 de novembro de 2018.

Este cronograma pode sofrer variações e não cumprir necessariamente os prazos aqui estipulados.

Para saber com precisão a data de Desligamento da TV Analógica no seu município consulte o site da Seja Digital, também visite o endereço para esclarecer suas dúvidas a respeito do desse processo de migração de sinal.

E claro, comece a se acostumar com a ideia de uma televisão com sons e imagens digital.

INSS

0

INSS

 
O INSSjá é figura presente no cotidiano dos brasileiros, mas você conhece a fundo essa instituição? Então, confira este artigo para conhecer mais sobre a previdência social e o INSS, e também esclareça todas as suas dúvidas referentes ao processo de consulta do extrato do INSS. Portanto, se atente as informações aqui apresentadas.
O Instituto Nacional do Seguro Social, popularmente conhecido como INSS, é uma instituição do Ministério da Previdência Social em conjunto com o Governo. O INSS é o órgão responsável pelo recebimento das contribuições dos cidadãos e da distribuição de suas aposentadorias, ou auxílio doença, ou auxílio-acidente, ou pensão por morte, entre outros benefícios.
Cada estado brasileiro tem a autonomia para instituir suas próprias regras no que se refere à previdência social, sendo assim, é importante conhecer as normas do seu estado e ficar atento aos prazos estabelecidos por ele. O extrato doINSS pode ser obtido em uma Agência da Previdência Social ou por meio da internet, o que facilita em muito a vida dos aposentados e pensionistas.
 

 

 
Além de emitir o extrato para consultar sua renda, este também pode servir para comprová-la, ou para a obtenção de imunidade tributária, entre outros exemplos. Através da internet, é possível ter acesso ao último extrato disponível, basta acessar a página oficial do INSS e seguir as instruções. Continue a leitura deste artigo para conhecer mais sobre o processo de consulta do seu extrato do INSS, bem como, a executá-lo pela internet.

 

Entenda a importância de consultar o seu extrato do INSS

Como já foi entendido, a previdência social é um seguro cobrado dos contribuintes durante o tempo de trabalho, e o INSS é o órgão responsável pelo repasse dessa renda às pessoas que não possuem formas de gerar renda no momento. Sendo assim, os empregados têm o valor relativo ao INSS descontado na sua folha de pagamento, esses valores podem variar entre 8% a 11% e dependem do salário de cada trabalhador.
O extrato do INSS torna acessível ao trabalhador o monitoramento de suas contribuições ao seguro social, e assim, consegue-se evitar atrasos nos pagamentos. Além de ser por meio do extrato que o trabalhador descobre o tempo exato que ainda lhe falta até poder se aposentar. 
 
Porém, é importante que o trabalhador contribuinte esteja atento a possível reforma da previdência que está circulando em Brasília. O governo pode aprovar esta reforma que pretende alterar parte das regras relacionadas ao tempo necessário de contribuição do trabalhador até a sua aposentadoria.
Dessa forma, o extrato do INSS se mostra mais uma vez uma ferramenta de grande utilidade para o trabalhador brasileiro que pretende acompanhar os trâmites legais até a sua aposentadoria, tanto no que se refere ao tempo restante de trabalho até o fato de ser possivelmente atingido pela aprovação da reforma previdenciária.
Outra mostra da relevância do extrato do INSS na vida dos brasileiros, é o fato de este ser requerido em qualquer negociação referente a tomada de crédito. Em qualquer instituição financeira ou agência bancária, o beneficiário do INSS conta com uma preferência maior no que se refere a provação e liberação do seu pedido de empréstimo, e em muitas situações, ainda conta com juros reduzidos e grande flexibilização do pagamento. 
 
Neste caso, para que o tomador de empréstimo possa solicitar o recurso, este precisa comprovar a sua renda e o extrato do INSS é a maneira ideal de fazer isso.

Como obter o seu extrato do INSS

Há três maneiras possível de se visualizar o seu extrato do INSS, todas são disponibilizadas de forma gratuita e completamente acessíveis ao cidadão. Pois o extrato é a maneira de garantir ao contribuinte o acesso as informações que são do seu direito. 
A primeira maneira de se emitir o extrato do INSS é por meio do atendimento presencial em uma agência da Previdência Social. Para isso, se dirija até a agência mais próxima e solicite ao atendente uma via do seu extrato. Esta é a opção tradicional e pode levar algum tempo, pois envolve locomoção, filas e tempo de espera para ao atendimento.
A segunda forma, também presencial, de se obter o extrato do INSS é por meio das agências bancárias. Neste caso, os correntistas da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil podem emitir o extrato do INSS diretamente do caixa eletrônico do seu banco. Mas está é uma opção apenas para os contribuintes que possuem conta nesses dois bancos.
A terceira e última opção para ter acesso a visualização do seu extrato doINSS, é usando a internet. Neste caso, o processo é inúmeras vezes mais facilitado, pois o contribuinte não precisa se locomover, tudo acontece por meio da internet na página oficial do INSS. Este endereço foi disponibilizado pelo governo com o intuito de facilitar a consulta do extrato e tornar essas informações mais acessível aos trabalhadores. 
 
É importante enfatizar que o extrato do INSS que é disponibilizado no site só traz as informações referentes ao último documento. Dessa forma, se o caso for de impressão dos períodos anteriores é necessário se dirigir até a Agência da Previdência Social mais próxima e solicitar um atendimento presencial.
Agora, você já possui informações suficientes sobre o INSS, já sabe como está instituição funciona e porque tem que recolher as contribuições dos trabalhadores para que possa garantir a renda aos beneficiários. Também descobriu que deve ficar atento aos trâmites da possível aprovação da reforma da previdência, que pretende alterar significativamente as regras previstas em lei.
O extrato do INSS é uma maneira de garantir ao contribuinte o seu acesso as informações relativas a previdência social, desta forma, quando se incentiva o cidadão a consultar o seu extrato do INSS, busca estimulá-lo a exercer a cidadania. Pois um direito conquistado deve ser monitorado constantemente, por isso, o governo disponibiliza um portal online para a visualização do último período disponível.

 

Visite o site e esclareça todas as suas dúvidas em relação ao assunto, aproveite o passeio e já realize a sua consulta do extrato do INSS, o processo é muito simples e só leva alguns minutos.

Bolsa Família

0

Bolsa Família


O Bolsa Família é um programa do governo federal que tem busca amparar milhares de famílias brasileiras que vivem em situação de pobreza. 

Essas pessoas são ajudadas a partir de uma contribuição mensal que soma a suas rendas e garante melhores condições de vida a essas famílias. Se você tem interesse em conhecer mais sobre este programa social, seja por iniciativa própria ou porque deseja participar dele, é indicado que continue a leitura desse artigo para ter acesso a maiores informações sobre o tema.

O país enfrenta crises econômicas, e como já é de conhecimento geral, quanto mais de baixa renda for a família mais vulnerável e sujeita a problemas econômicos ela está. 

Dessa forma, muitas pessoas que passam por verdadeiras dificuldades financeiras teriam em teoria o direito ao recebimento do benefício, porém muitas dessas famílias não têm conhecimento suficiente sobre o programa e acabam por abrir mão dessa “ajuda”. Mas, com a leitura integral deste artigo você não poderá mais se queixar por falta de informação, portanto, se prepare para conhecer tudo sobre o Bolsa Família.



O Bolsa Família é o maior programa de transferência de renda direta do país, há muitas críticas que envolvem o assunto, mas contra fatos que comprovam que os recursos do programa foram usados de modo a devolver a dignidade a esses brasileiros que viviam em situação de precariedade, não há argumentos egoístas que desmantelem a eficiência da iniciativa do governo federal.

Para as famílias que desejam participar do Bolsa Família é importante que essas estejam atentas ao fato de que precisam comprovar renda, entre outros critérios que também são exigidos para ter acesso ao benefício. Por aqui você aprenderá como se inscrever no programa e entenderá mais sobre como este funciona. Fique atento.

Atualmente, o programa Bolsa Família atende mais de 13 milhões de pessoas por todo o país. São milhares de brasileiros que agora têm acesso a uma vida com mais qualidade, e consequentemente, maiores oportunidades. 

Os valores a serem recebidos variam de acordo com a renda dos moradores da residência e tais recursos têm o propósito de auxiliar na renda doméstica e trazer mais tranquilidade a essas famílias.

Quem tem direito ao Bolsa Família


Para ter direito ao recebimento do benefício, é necessário que a família interessada em participar do programa comprove sua situação de pobreza ou de extrema pobreza. Para fazer este cálculo é preciso somar a renda de todos os moradores da casa e dividir pela quantidade desses. Se o resultado estiver variando entre R$ 85,01 a R$ 170,00 por pessoa é declarada situação e pobreza, no caso desse cálculo gerar valor inferior a R$ 85,00 por mês é declarada situação de extrema pobreza. 

O benefício do Bolsa Família também se estende a crianças até seis meses de vida, a gestante e a crianças ou adolescentes até dezessete anos que vivam em família declarada pobre.

A prefeitura de cada cidade é a responsável pelo cadastramento no programa, ou seja, para ter acesso a informações mais detalhadas sobre o local de cadastro do Bolsa Família é indicado que se procure por atendentes municipais, pois são eles que recolhem e atualizam os dados relacionados ao cadastro do programa e ajudam a escolher as famílias que estão aptas a receber o benefício.

Para quem se encaixa nos critérios para receber o auxílio e deseja participar do programa, é o momento de buscar informações sobre o cadastramento na sua cidade. Depois, se dirija até o local indicado com toda a documentação em mãos, leve o seu documento de identificação e os da sua família e mais o comprovante de renda. 

Feito isso, agora é o momento de aguardar a análise dos técnicos do programa que decidirão se sua família se encaixa nos critérios do Bolsa Família.

Depois de ter feito o cadastro, no caso da sua família ser selecionada, vocês receberão uma carta informando da participação no programa. No caso de não receber a carta, é indicado que se procure a prefeitura para obter maiores informações, ou o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) da sua cidade. 

Se preferir, para esclarecimento de dúvidas e maiores informações contate gratuitamente a Central de Atendimento Caixa ao Cidadão através do número 0800 726 0207.

No mesmo endereço onde foi direcionada a carta que noticia a entrada da sua família ao programa social, será também o destino do seu Cartão do Bolsa Família. Dias após a entrega da carta, o seu cartão já estará a caminho. 

No caso deste último não chegar, contate a Central de Atendimento Caixa ao Cidadão no número apresentado acima.

Para cadastrar a senha no seu Cartão do Bolsa Família você vai precisar ter em mãos alguns documentos, como seus CPF e RG (documentos de identificação) mais o número do NIS (número de inscrição social). Depois, é preciso ligar no número 0800 726 0207 e seguir as instruções que são disponibilizadas pelo sistema. 

O atendimento é automático e só leva alguns minutos para a realização do seu cadastro.


Feita essa etapa do processo, agora é o momento de se dirigir até a casa lotérica ou agência da Caixa Econômica mais próxima para concluir o cadastro da sua senha. Leve seus documentos de identificação mais o seu Cartão do Bolsa Família e está feito. Agora você já possui o seu direito ao benefício assegurado, pois possui cartão e senha devidamente cadastrados.

Para sacar o auxílio, o beneficiário precisa se dirigir até um caixa eletrônico em uma agência da Caixa, ou receber através de casas lotéricas ou terminais do Caixa Aqui. No caso do cidadão estar sem o seu Cartão Bolsa Família, é necessário que este se encaminhe até uma agência da Caixa com seus documentos em mãos e mais o número do PIS para conseguir realizar o saque do seu benefício.

Agora você já está suficientemente informado sobre as condições que envolvem o recebimento do Bolsa Família. Veja se sua família se adequa aos critérios estabelecidos no programa social, e se sim, faça o seu cadastro e comece a receber o benefício.